Robô

Com este robô que fala e dança, as crianças diagnosticadas com diabetes  aprendem a calcular os dados que podem salvar suas vidas. Charlie é o resultado de uma colaboração entre profissionais de saúde, engenheiros de robótica e acadêmicos dos Países Baixos, Itália, Alemanha e Grã-Bretanha, e poderá em breve tornar-se o treinador de muitas crianças com diabetes tipo 1.

Um jogo de futebol, um lanche rápido em um fast food, ou uma festa de aniversário podem ser atividades perigosas para quem tem a doença. O robô Charlie auxiliaria as crianças diabéticas em tarefas importantes para o tratamento da doença, como a hora em que ela deve injetar a insulina.

Em fase de testes, o amigo das crianças ainda está aprendendo a avaliar melhor as necessidades dos doentes e deverá transformar as suas interações em verdadeiras conversas.  Os primeiros resultados deste período de testes mostram que as crianças estão mais cientes sobre sua doença, e sobre seus riscos.

Via theSundaily